Exposição com obras produzidas por alunos da FCM é aberta ao público

101
Publicidade

Para celebrar o aniversário da primeira capital do Brasil, que completa 475 anos nesta sexta-feira (29), as crianças e adolescentes assistidas nas unidades da Fundação Cidade Mãe (FCM) produziram obras que dão vida à exposição “Um Laço de Amor da FCM por Salvador”, aberta nesta quarta-feira (27). Os trabalhos artísticos podem ser apreciados na galeria da sede do órgão que fica localizada no Engenho Velho de Brotas, das 9h às 16h, de segunda a sexta-feira (exceto feriados).

Os desenhos, colagens, pinturas e esculturas foram confeccionados por educandos integrantes das oficinas lúdico-pedagógicas desenvolvidas nos seis Centros de Convivência Socioassistencial (CCSs), espalhados em bairros periféricos da capital baiana. Todo ano a instituição, que pertence à Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), propõe temas para celebrar a comemoração por Salvador, dentro de uma perspectiva pedagógica, no que tange as artes visuais, potencializando o universo cultural trazido pela percepção dos artistas.

Enquanto organizava as obras, o curador da exposição, o educador de Artes Visuais da FCM, Gilson Cardoso, comentava orgulhoso sobre o trabalho desenvolvido pelos alunos. “Me sinto feliz e realizado em saber que a arte e cultura têm transformado as vidas das crianças e adolescentes que atendemos aqui”, diz ele, enquanto aponta para quadros feitos por jovens egressos da FCM, hoje estudantes da Faculdade de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

O artista explica que o tema da exposição em homenagem à capital baiana foi pensado com objetivo de despertar na garotada e nos jovens o sentimento de pertencimento com relação a cidade onde vivem. “No aniversário de Salvador que presente nós podemos dar a nossa cidade? Eles produziram pinturas, telas com declarações, esculturas e desenhos que falam sobre a cidade e como cuidar dela”, explica.

Função social – Para a gerente de Proteção Social Básica da FCM, Eliane Braz, a arte tem a função social importante de apontar as mazelas, a partir da concepção de mundo do artista, que reproduz seu olhar imprimindo na obra sua sensibilidade e criatividade. “Desenvolvendo essas habilidades, o aluno ganha liberdade e segurança para enfrentar diversas situações da vida”, pontua.

Além da exposição, os jovens também produziram um espetáculo de dança que foi apresentado aos colaboradores da FCM, nesta quarta-feira (27). Assistida pela FCM há três anos, a adolescente Luara Estrela, 15 anos, integra a oficina de dança desenvolvida pela professora, Verônica Oliveira, 60 anos. Enquanto se preparava para apresentar o espetáculo musicado pela canção de Luiz Caldas, “Muito prazer, meu nome é Salvador”, a adolescente falou sobre a sensação de se apresentar ao público.

“Meu Deus é um negócio que não sei explicar, é mágico para mim. Às vezes vem aquela vontade de chorar seguida daquela alegria. Eu amo a dança, e a Fundação me ajudar a viver isso. Criei um amor enorme pelas pessoas daqui, aqui dentro eu me sinto em casa, fico leve. Minha vida mudou desde quando cheguei aqui”, disse, visivelmente emocionada.

Formação cidadã – A Fundação Cidade Mãe atua na execução das políticas públicas de proteção social básica, com foco na prevenção à violação de direitos de crianças, adolescentes e jovens, na faixa etária entre 7 e 18 anos incompletos, que possuem referência familiar, encontram-se matriculados na rede formal de ensino público, mas vivenciam uma situação de vulnerabilidade social. Há 28 anos, a instituição desenvolve um trabalho que abraça as artes visuais não com o propósito de formar artista, mas cidadãos, visto que a arte é um veículo da cidadania capaz de despertar nos educandos o potencial artístico.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui